Não espere a situação perfeita para pagar sua dívida

03/01/2020 0 Por Admin12345

Quando a empresa é insolvente, pode entrar em uma liquidação voluntária dos credores, mas em alguns casos as empresas insolventes podem não ter outra opção a não ser liquidar como resultado de uma ordem de liquidação judicial. A liquidação compulsória pode ser um processo extremamente difícil para as empresas.

Com a liquidação voluntária, os diretores da empresa tomam a decisão de liquidar a empresa, com a aprovação dos acionistas da empresa. Dependendo da solvência da empresa, ocorrerá uma Liquidação Voluntária de Membros (MVL) ou uma Liquidação Voluntária de Credores (CVL). Um liquidatário será nomeado para ambos os procedimentos.

O processo de liquidação voluntária significa que os diretores da empresa podem escolher, juntamente com a aprovação dos acionistas, liquidar a empresa. Quando um tribunal apresenta à empresa uma ordem de liquidação, a empresa não tem escolha a não ser liquidar. Com uma liquidação voluntária de membros, uma empresa declarará que é solvente e um liquidante avaliará e venderá os ativos da empresa para pagar os credores. Uma liquidação voluntária dos credores envolve uma investigação da empresa pelo liquidante, após o qual serão realizadas reuniões regulares com os credores. Os ativos da empresa serão vendidos e os credores serão pagos, permitindo que os diretores da empresa sigam em frente.

Uma liquidação compulsória ocorre quando um credor solicita a um tribunal a fim de encerrar a empresa. Os diretores da empresa também podem solicitar aos tribunais, embora isso deva ser feito por um grupo de diretores e não apenas um diretor. Os diretores da empresa receberão a ordem de encerramento judicialmente. As empresas podem apelar após a apresentação de um pedido de liquidação, mas isso deve ser feito dentro de um determinado período de tempo. A petição ao tribunal pode revelar-se dispendiosa para os credores e os diretores da empresa; portanto, é sempre uma boa idéia que as empresas considerem alternativas.